TECOP. TEXTOS E CONTEXTOS DO ORIENTALISMO PORTUGUÊS – CONGRESSOS INTERNACIONAIS DE ORIENTALISTAS (1873-1973)

PROJECTO FINANCIADO (PTDC/CPC-CMP/0398/2014)

TECOP. TEXTS AND CONTEXTS OF PORTUGUESE ORIENTALISM – THE INTERNATIONAL CONGRESSES OF ORIENTALISTS (1873-1973) Coordenação: Marta Pacheco Pinto

Descrição

Financiado no âmbito do Projeto 3599 – Promover a Produção Científica, o Desenvolvimento Tecnológico e a Inovação – Não Cofinanciada.

O projeto TECOP visa o estudo do Orientalismo Português num contexto comparatista e interdisciplinar. Procura dar visibilidade aos orientalistas portugueses que participaram nos Congressos Internacionais de Orientalistas e reconstituir as redes culturais, intelectuais e/ou científicas por eles formadas através da sua participação nesses congressos e nas sociedades científicas que os fomentaram. Entre 1873 e 1973, realizaram-se, oficialmente, 29 encontros em vinte e quatro cidades europeias e cinco extraeuropeias, reunindo investigadores de vários continentes, com vista a debater os estudos orientais praticados sobretudo na Europa e nos EUA.

A escassa literatura crítica sobre estes congressos e sobre a participação portuguesa, e em particular a ausência de Portugal no discurso historiográfico sobre eles, mostra que esta questão tem sido periférica. Propomo-nos, como linha de investigação inovadora, transferir esta questão da periferia para o centro do debate académico, contribuindo, deste modo, para a reconfiguração do saber produzido pela intelligentsia orientalista de matriz europeia, de que Portugal faz parte, e visando preencher a lacuna relativa à sua compreensão e história, resgatando, em simultâneo, o papel fulcral que Portugal teve na genealogia dos estudos orientais.

A importação e produção de saber, que sustentou o Orientalismo Português, bem como a repercussão das redes culturais, intelectuais e/ou científicas que os orientalistas portugueses estabeleceram estão por analisar. Importa clarificar a implicação institucional e como ela influiu na produção textual dos orientalistas participantes nos congressos, moldando o quadro teórico, estético e ideológico do Orientalismo Português. Nesse sentido, o grupo obedece a uma lógica interdisciplinar, patente na prática investigativa já desenvolvida. É epistemologicamente coerente e os perfis dos investigadores atravessam os Estudos Literários, Estudos Comparatistas, Estudos de Tradução, História, Antropologia, Filosofia. Os Estudos Literários – na vertente culturalista de que o comparatismo praticado pelo CEC tem sido pioneiro – são o lugar certo onde dinamizar este projeto.

Em Portugal, a abordagem ao Orientalismo Português como área investigativa e disciplinar é recente e os resultados a alcançar com o presente projeto concorrem para o seu desenvolvimento.

Objectivos

  • Analisar o Orientalismo Português como área disciplinar cuja emergência se situa historicamente na segunda metade do século XIX e de que os Congressos Internacionais de Orientalistas são sintomáticos;
  • Reconstituir os perfis biobibliográficos dos orientalistas portugueses participantes nestes eventos científicos;
  • Mapear as redes culturais, intelectuais e/ou científicas em que estes participantes se movimentaram, delineando teias interpessoais e influências nas várias sociedades europeias e extraeuropeias;
  • Aprofundar o enquadramento teórico, estético e ideológico do Orientalismo Português através da disponibilização de documentação que visibilize as atividades e as redes constituídas pelos orientalistas portugueses e da indagação de conceitos fundamentais estruturadores do Orientalismo Português como fenómeno nacional e internacional;
  • Identificar, na produção escrita dos orientalistas portugueses, teias imagéticas e léxico-semânticas, situando-as no contexto dos Congressos Internacionais de Orientalistas, e descodificar redes metafóricas/metonímicas/simbólicas e binarismos retórico-estilísticos do discurso do Orientalismo Português;
  • Desenhar uma tipologia de modelos de escrita orientalista e mapear um ethos orientalista;
  • Dar conta da constituição de uma intelligentsia orientalista portuguesa de matriz europeia.

Equipa

Marta Pacheco Pinto
Ana Paula Avelar
Ana Paula Laborinho
Catarina Nunes de Almeida
Duarte Drumond Braga
Everton V. Machado
Alexandra Nepomuceno
Catarina Severino

Consultores do projeto

Filipa Lowndes Vicente (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa)
Jean-Pierre Dubost (Université Blaise Pascal)
Kenneth David Jackson (University of Yale)
Rosa Maria Perez (ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa)

Actividades

Workshop Orientalism as Ethos? (10 de Outubro 2017), Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com a participação dos consultores do projecto Filipa Lowndes Vicente, Jean-Pierre Dubost, K. David Jackson e Rosa Maria Perez.

Painel temático “Textos e Contextos do Orientalismo Português: Os Congressos Internacionais de Orientalistas (1873-1973)”, XII Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas (23-28 Julho 2017), Instituto Politécnico de Macau, com participação de C.N. de Almeida e D.D. Braga.

Instituições participantes

CHAM – Centro de Humanidades, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa (FCSH/UNL)

Sociedade de Geografia de Lisboa

Duração do projecto

1 de julho de 2016 – 31 de dezembro de 2018

Contacto

tecop.orion@gmail.com