CRUZEIRO TRANSATLÂNTICO UNIVERSITÁRIO DE 1934

cartaz_cruzeiroEXPOSIÇÃO COMEMORATIVA

Datas: 28 de Fevereiro – 15 de Março de 2018
Local: Faculdade de Letras de Lisboa (sala B1 – Biblioteca)
Inauguração: 28 de Fevereiro, 14:30

English version

Esta exposição evoca o cruzeiro transatlântico universitário que viajou para a América no Verão de 1934, numa iniciativa da Universidade de Barcelona, Autónoma nesse momento. O objectivo do Cruzeiro era que um grupo de estudantes de várias disciplinas, bem como profissionais de âmbitos diversos, pudessem visitar alguns portos da América do Sul, Central e do Norte para aprender no terreno questões que tinham intuído nas suas aulas.

O barco, o “Marqués de Comillas”, da Companhia Transatlântica, converter-se-ia durante alguns dias numa universidade flutuante, onde se ofereciam pequenos círculos temáticos de conferências. A ideia estava baseada numa aprendizagem a partir do conhecimento directo da realidade, na interdisciplinaridade como terreno didáctico e nas novas formas de aproximação ao estudo, isto é, em pressupostos educativos muito ligados às correntes defendidas pela Institución Libre de Enseñanza e aos movimentos catalães de renovação pedagógica, alguns dos quais se replicam até hoje, ao passo que outros ainda estão longe de ser implementados.

O cruzeiro durou cinquenta dias; dirigia-o o Dr. Ángel Ferrer y Cagigal, Director da Faculdade de Medicina, auxiliado por dois jovens professores de Filosofia e Letras: Guillermo Díaz-Plaja e Jaume Vicens Vives. A Companhia Transatlântica apoiou o projecto e disponibilizou passagens a um preço muito reduzido; o Conselho da Universidade e a Generalitat ofereceram bolsas. Participaram nele uma centena de viajantes, entre profissionais e estudantes, procedentes da Universidade de Barcelona e de outras partes do estado espanhol.

Com um conjunto de fotografias, cartas, folhetos, diários de bordo e outros documentos de interesse, a exposição procura aproximar-nos daquela experiência através dos seus protagonistas. Pretende-se que os espectadores de hoje-em-dia fiquem conscientes de uma certa maneira de entender a educação e que observem as formas de civismo, de conhecimento e de gosto pela vida que respondiam então a um modelo avançado, e poderão constituir ainda um referente para a sociedade actual.

Curadores: Ana Díaz-Plaja Taboada e Marcelino Jiménez León.

Edição: María José Díaz-Plaja Taboada.

Organização e arquivo: Aurora e Victoria Díaz-Plaja Taboada (Arquivo G. Díaz-Plaja); Daniel Marías (Universidade Carlos III de Madrid).

Estudante estagiária: María del Mar Merino Escobar (Mestrado em Gestão Cultural, Faculdade de Economia, Universidade de Barcelona).

Desenho gráfico: Júlia Ruiz Soto.

Todos os materiais, salvo outra indicação, procedem do Fondo Guillermo Díaz-Plaja (Reial Acadèmia de Bones Lletres de Barcelona).

Organização na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa: Ângela Fernandes e Magdalena López (Centro de Estudos Comparatistas, FLUL)

Apoio: Consejería de Educación de la Embajada de España en Lisboa

Folheto informativo AQUI.

Exposição virtual AQUI.

Actividade realizada no âmbito do projecto de investigação DIIA – Diálogos Ibéricos e Ibero-Americanos do grupo LOCUS, em parceria com o projecto exploratório Mapa Digital das Relações Literárias Ibéricas (1870-1930).