Utopia e Crítica. Bibliografia anotada (1999-2005)

Capa_Utopia-700x600

Coordination: Lourdes Câncio Martins
Edition: Edições Cosmos| CEC
Year: 2019Depois de termos testemunhado, ao longo do século XX, as terríveis atrocidades que a implementação dos sonhos utópicos acarretou para a Humanidade, estamos finalmente aptos a reler as utopias e a extrair, dessa leitura, os ensinamentos que o novo milénio (nos) exige. Ao termos presenciado os terríveis erros que foram erros que foram cometidos sob a chancela dos utopistas, aprendemos quão trágicas podem ser as consequências, para as sociedades e o Homem, de uma cega e acrítica transposição das utopias para o terreno da História.
Não é pois de estranhar que, neste início de século, nos sintamos finalmente capazes de repensar as implicações associadas ao conceito de utopia e, consequentemente, que se assista a um renovado interesse pelos estudos utópicos, nomeadamente pela obra de Thomas More, já que estamos hoje apetrechados dos instrumentos necessários para retirar dela o que ela nos pode ainda hoje ensinar: a analisar, metodológica e analiticamente, as potencialidades e fragilidades que as utopias encerram: por um lado, ajudando-nos a aplicar à realidade um olhar desconstrutido, aquele que os escritores exploram quando analisam as condições em que comunitariamente vivemos; por outro, munindo-nos de um olhar construtivo, aquele que, alicerçado sobre uma reflexão crítica do real, permite delinear uma sociedade alternativa àquela em que nos inserimos
Em suma, o valor e a força da Utopia consistem nessa abordagem construtiva do real, cuja desconstrução é a premissa necessária para a edificação de uma realidade melhor, historicamente viável.