JÚLIO POMAR “JOGO DA CABRA SÁBIA”

JÚLIO POMAR “JOGO DA CABRA SÁBIA”Coordination: Kelly Benoudis Basilio

Publisher: CEC / Húmus

Year: 2019

“No encontro intitulado ‘Azulejos’, presenciado pelo artista, que teve lugar em Lisboa no Museu da Cerveja no dia 3 de Abril de 2013, tive a oportunidade única de ler esta autocitação de Júlio Pomar: “Entendi o azulejo como um desenho, e o desenho como uma escrita. Servi-me do azulejo para me obrigar a desenhar e do desenho como de uma caligrafia rápida. Atenção: para o que é rápido é necessária uma preparação lenta: um bom resultado excitante é o contrário do que corre fácil. Um jogo de cabra com o improviso. Um jogo de cabra sábia. (Júlio Pomar, in Contos Murais, Galeria Ratton, 1998).

Daí o subtítulo que resolvi dar a esta colectânea de ensaios dedicados a algumas das diversas artes exercidas por Júlio Pomar que, no meu entender, se resumem numa só: a arte lúcida do jogo contra a cegueira do acaso. O jogo é aliás a mais lúcida das artes: as crianças – e os artistas – que o digam. Mas não os adultos infantis, cuja ligeireza os leva a brincar com o fogo do acaso. Pois com o jogo não se brinca – tem regras.

(Kelly B. Basílio, da introdução)

This publication is funded by FCT -Fundação para a Ciência e a Tecnologia, I.P, in scope of the project UID/ELT/0509/2019.