ACT 18 – Utopia e Ciência

Editor: Maria de Lourdes Câncio Martins
Publisher: Húmus
Year: 2009
Price: 5€


Reúnem-se neste volume as comunicações apresentadas ao Colóquio Utopia e Ciência – ACT 18, realizado na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em 26-27 de Novembro de 2007, e organizado pelo Centro de Estudos Comparatistas desta Faculdade em colaboração com o Projecto Europeu ACUME 2 – “Interfacing Science, Literature and Humanities”. Uma iniciativa que beneficiou  do apoio de duas instituições portuguesas: a Fundação para a Ciência e a Tecnologia e a Fundação Calouste Gulbenkian, especialmente o seu Departamento Científico.
Explorando diferentes questões relacionadas com o tópico geral do Colóquio, os intervenientes cruzaram múltiplos saberes e alargaram o campo da reflexão e do debate em torno de temáticas com particular incidência na nossa actualidade.
No contexto da representação do ACUME, focou-se, nomeadamente: o Ciborgue numa perspectiva do género, considerando-se as propostas de William Gibson e Pat Codigan, a partir das quais se desenvolve essa perspectiva e o ciberespaço se torna um instrumento para interrogar a noção de identidade, bem como a relação do ser humano com a tecnologia; a visão de “um lugar em parte alguma”, radicada na literatura de ficção científica, argumentando-se que esta designa uma comunidade e um mundo transcendentes, susceptíveis de nos fazer pensar o nosso mundo como uma soma de muitos mundos; a representação das bio-ciências e da tecnologia na literatura e cultura da Europa contemporânea; a possibilidade de um modelo altamente tecnológico para uma utopia global; ou ainda as eutopias e distopias da educação, defendendo-se que esta é um aspecto do processo pelo qual a sociedade passa os seus valores à geração seguinte, como um meio de formar a sua população e de, assim, criar as competências de que ela necessita.
Os investigadores nacionais, na sua relevante contribuição para este encontro científico, examinaram e problematizaram uma diversidade de relações entre o projecto utópico e os desenvolvimentos científicos e tecnológicos, centrando-se num outro cruzamento de linhas: da utopia e da matemática, prática ficcional de Jorge Luís Borges; da arte e da medicina, através da aproximação de imagens estéticas e científicas do corpo humano, num contexto utópico; relativas à mulher e à ciência num número representativo de utopias e distopias, tendo em conta a crítica feminista e a revisão da retórica da biologia molecular; ou também respeitantes a uma nova ordem imposta à visão do mundo contemporânea, que marca a concepção da nossa cultura proposta por Régis Debray, como transacção negociada entre uma herança mitológica e os meios técnicos de hoje, decorrentes do avanço científico. Um acordo, cujo efeito na recepção literária da utopia se indagou, ao analisar-se uma nova visão do mito estruturada pela escrita pós-moderna de Umberto Eco.
Uma especial referência é aqui devida ao Prof. João  Caraça que se dignou, com a sua intervenção,  facultar a este Colóquio a sua competência de cientista. Questionando o fim da utopia na nossa actualidade, veio a definir o papel fundamental da ciência na promoção de caminhos alternativos para a sociedade.
Poder-se-á afirmar que os objectivos do Colóquio foram plenamente atingidos. Com base num exame plural, fundado no encontro e na controvérsia, todos os participantes contribuíram para o avanço e consolidação das nossas melhores percepções sobre o tema: Utopia e Ciência.

CONTENTS

  • Eutopias and Dystopias of Education, Lyman Tower Sargent
  • Littérature de science-fiction: Une Vue de nulle part. Notes pour une mise en situation de la littérature de science-fiction, Jean Bessière
  • Science, Literature, Utopia: A New Vision of the Myth (Umberto Eco and The Mysterious Flame of the Queen Loana), Lourdes Câncio Martins
  • Women, Science and Utopia, Aline Ferreira
  • A ciência na utopia, a utopia na ciência: Vacuidade, indeterminação, interdependência no centro da realidade utópica, José Eduardo Reis
  • Da filosofia à ciência – Ou da filosofia como fábrica de utopias, Henrique Jales Ribeiro
  • What Will the World Be Like in the Year Three Thousand? The Role of Science, between Utopia and Dystopia, Fátima Vieira
  • The Southern Agrarians: Utopian versus Industrial, Maria Teresa Castilho
  • Do Science and Technology merely Constitute a Menace in Utopian/ Dystopian Literature or Can They Contribute, and If so to What Extent, to the Happiness of the Citizens of a Community? A Little Known Example of how Science and Utopia Can Bring about Happiness in Society: The Diothas, or a Far Look ahead, a Highly Technological Model for a Global Utopia, Adriana Corrado
  • More [than] Human: The Debate on Post-Humanity at the Intersection of Scientific Thought, Technological Experimentation and Literary Vision, Paola Spinozzi
  • Utopias contemporâneas: As cidades criativas, Ana Paula Laborinho
  • Antes do verbo: Silêncio e utopia em ‘Véspera de canto’, de Jorge de Sena, Luciana Salles
  • Da arte à medicina: Imagem, ciência e utopia, Ana Isabel Moniz

{excertos}